sábado, 12 de agosto de 2017

HOMENAGEM AOS PAIS E SUAS PROFISSÕES

HOMENAGEM AOS PAIS E SUAS PROFISSÕES Pr. Sérgio Aparecido Dias - Meu pai é MECÂNICO. O mecânico conserta as coisas e as faz funcionar de novo. As pessoas ficam muito alegres com o trabalho do meu pai, porque os seus carros voltam a funcionar depois que meu pai os conserta! - Meu pai é POLICIAL. O trabalho dele é proteger a Sociedade e não deixar que as pessoas sejam roubadas e nem agredidas. Todas as pessoas agradecem ao meu pai pelo trabalho que ele faz! - Meu pai é PEDREIRO. Quando as pessoas precisam de casa, contratam o meu pai para construir as casas para elas. O trabalho do meu pai é importante, porque sem o pedreiro as pessoas não iriam ter lugar para morar! - Meu pai é PISCICULTOR. Ele é o profissional responsável pelos tanques onde os peixes pequeninos (chamados alevinos) se desenvolvem e depois são distribuídos para os criadores. E assim sempre tem peixes no mercado e nunca falta! - Meu pai é BANCÁRIO. Seu trabalho é receber e atender os clientes dos bancos, orientando as suas aplicações financeiras, aconselhando a administrar as suas contas, a sua caderneta de poupança, conseguir empréstimos para compra de casa própria, a fazer depósitos e retirada de dinheiro. - Meu pai é SEGURANÇA DE AVIAÇÃO. Seu trabalho é proteger os passageiros e evitar que eles corram perigo, não deixando entrar nos aviões nada que seja perigoso, ou que venha a causar qualquer dano ou prejuízo. - Meu pai é INSTRUTOR DE ARTES MARCIAIS. Ele treina e prepara pessoas que serão futuros campeões de Karatê e Jiu-Jitsu. E também ensina a se defenderem de agressores e a protegerem suas famílias e seus amigos. - Meu pai é PASTOR. O seu trabalho é cuidar das almas das pessoas, ensinar para elas a Palavra de Deus e levá-las até Jesus para serem salvas. O seu trabalho é muito importante, porque são os pastores que cuidam dos membros das Igrejas! - Queridos papais, queremos homenageá-los nesse Dia dos Pais e dizer: MUITO OBRIGADO PAPAI PELO SEU AMOR, PELA SUA DEDICAÇÃO, PELO SEU TRABALHO E A GRANDE IMPORTÂNCIA DELE PARA O BEM DA SOCIEDADE E DA IGREJA!!!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

A BÍBLIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS - Bibliologia Introdutória

A BÍBLIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS

Bibliologia

Apresentação

A Casa Publicadora das Assembléias de Deus tem a grata satisfação de apresentar aos seus milhares de leitores mais uma obra do pastor Antônio Gilberto, intitulada A Bíblia através dos séculos. Trata-se, sem dúvida alguma, de um livro que interessa ao estudante das Sagradas Escri­turas, pois descreve, em linguagem simples, particularida­de do autor, assuntos por demais sugestivos, tais como 0 Cânon da Bíblia e sua evolução; A preservação e a tradu­ção da Bíblia; A seqüência da História Bíblica; Cronologia Bíblica; Geografia Bíblica; Vida e Costumes dos Povos Bíblicos; Dificuldades da Bíblia, etc.
Conforme o próprio autor declara, este compêndio é um estudo introdutório do Livro Santo, para melhor com­preensão do leitor. Temos a certeza de que todos os que ad­quirirem a presente obra, por certo agradecerão a Deus pelo privilégio de possuírem um manual que os ajudará a entender melhor o Livro dos livros.

Diretoria de Publicações



1
Considerações preliminares

I. INTRODUÇÃO BÍBLICA OU BIBLIOLOGIA
O nosso assunto é o estudo introdutório e auxiliar das Sagradas Escrituras, para sua melhor compreensão por parte do leitor. É também chamado Isagoge nos cursos su­periores de teologia. Este estudo auxilia grandemente a compreensão dos fatos da Bíblia. Um ponto saliente nele é a história da Bíblia mostrando como chegou ela até nós. A necessidade desse estudo é que, sendo a Bíblia um livro di­vino, veio a nós por canais humanos, tornando-se, assim, divino-humana, como também o é a Palavra Viva - Cristo -, que se tornou também divino-humano (Jo 1.1; Ap 19.13).
Pela Bíblia, Deus fala em linguagem humana, para que o homem possa entendê-lo. Por essa razão, a Bíblia faz alusão a tudo que é terreno e humano. Ela menciona paí­ses, montanhas, rios, desertos, mares, climas, solos, estra­das, plantas, produtos, minérios, comércio, dinheiro, línguas, raças, usos, costumes, culturas, etc. Isto é, Deus, para fazer-se compreender, vestiu a Bíblia da nossa lin­guagem, bem como do nosso modo de pensar. Se Deus usasse sua linguagem, ninguém o entenderia. Ele, para re­velar-se ao homem, adaptou a Bíblia ao modo humano de perceber as coisas. Destarte, o autor da Bíblia é Deus, mas os escritores foram homens. Na linguagem figurada dos Salmos e das diversas outras partes da Bíblia, Deus mes­mo é descrito e age como se fosse homem. A Bíblia chega a esse ponto para que o homem compreenda melhor o que Deus lhe quer dizer. Isto também explica muitas dificulda­des e aparentes contradições do texto bíblico.




II. O ÂMBITO DESTE ASSUNTO
A Bibliologia estuda a Bíblia sob os seguintes pontos de vista:
1.  Observações gerais sobre sua leitura e estudo.
2.  Sua estrutura, considerando sua divisão, classificação dos livros, capítulos, versículos, particularidades e tema central.
3.  A Bíblia considerada como o Livro Divino, isto é, como a Palavra escrita de Deus.
4.  O Cânon sagrado: sua formação e transmissão até nós.
5.  A preservação e tradução do texto da Bíblia. Isto aborda as línguas originais e os manuscritos bíblicos.
6.  Inclui ainda elementos de história geral da Bíblia, inclu­sive o Período Interbíblico ou Intertestamentário, e de auxílios externos no estudo da Bíblia: geografia bíblica, usos e costumes antigos orientais, sistemas de medidas, pesos e moedas; cronologia bíblica geral, história das na­ções antigas contemporâneas; estudos das personagens e dos livros da Bíblia, e das dificuldades bíblicas.

III. A RAZÃO DA NECESSIDADE DAS ESCRITURAS
Deus se tem revelado através dos tempos por meio de suas obras, isto é, da criação (SI 19.1-6; Rm 1.20). Porém, na Palavra de Deus temos uma revelação especial e muito maior. É dupla esta revelação: a) na Bíblia, que é a PALA­VRA DE DEUS ESCRITA, e b) em Cristo, que é PALA­VRA DE DEUS VIVA (Jo 1.1). Esta dupla revelação é es­pecial, porque tornou-se necessária devido à queda do ho­mem. 10


IV. A NECESSIDADE DO ESTUDO DAS ESCRITURAS
Isto está implícito em Salmo 119.130; Isaías 34.16; 2 Ti­móteo 2.15; 1 Pedro 3.15, e nos conduz a dois pontos de suma importância: a) porque devemos estudar a Bíblia, e b) como devemos estudar a Bíblia.
Estudar é mais que ler; é aplicar a mente a um assunto, de modo sistemático e constante.
1. Porque devemos estudar a Bíblia
a.  Ela é o único manual do crente na vida cristã e no trabalho do Senhor. O crente foi salvo para servir ao Se­nhor (Ef 2.10; 1 Pe 2.9). Sendo a Bíblia o livro texto do cristão, é importante que ele a maneje bem, para o fiel de­sempenho de sua missão (2 Tm 2.15). Um bom profissional sabe empregar com eficiência as ferramentas de seu ofício. Essa eficiência não é automática: vem pelo estudo e práti­ca. Assim deve ser o crente com relação ao seu manual - a Bíblia. Entre as promessas de Deus nesse sentido, temos uma muito maravilhosa em Isaías 55.11. Deus declara aí que sua Palavra não voltará vazia. Portanto, quando al­guém toma tempo para estudar com propósito a Palavra de Deus, o efeito será glorioso quanto à edificação espiri­tual e ao engrandecimento do reino de Deus.
b.  Ela alimenta nossas almas (Jr 15.16; Mt 4.4; 1 Pe 2.2). Não há dúvida de que o estudo da Palavra de Deus traz nutrição e crescimento espiritual. Ela é tão indispen­sável à alma, como o pão ao corpo. Nas passagens acima, ela é comparada ao alimento, porém, este só nutre o corpo quando é absorvido pelo organismo. O texto de 1 Pedro 2.2 fala do intenso apetite dos recém-nascidos; assim deve ser o nosso desejo pela Palavra. Bom apetite pela Bíblia é si­nal de saúde espiritual.
Como está o seu apetite pela Bíblia, leitor?
c.  Ela é o instrumento que o Espírito Santo usa (Ef 6.17). Se em nós houver abundância da Palavra de Deus. o Espírito Santo terá o instrumento com que operar. É preci­so, pois. meditar nela (Js 1.8; SI 1.2). Ê preciso deixar que ela domine todas as esferas da nossa vida. nossos pensa­mentos, nosso coração e, assim, molde todo o nosso viver diário. Em suma: precisamos ficar saturados da Palavra de Deus.
Um requisito primordial para Deus responder às nossas orações é estarmos saturados da sua Palavra (Jo 15.7). Aqui está, em parte, a razão de muitas orações não serem respondidas: desinteresse pela Palavra de Deus. (Leia o texto outra vez.) Pelo menos três fatos estão implícitos aqui: a) Na oração precisamos apoiar nossa fé nas promes­sas de Deus, e essas promessas estão na Bíblia, b) Por sua vez, a Palavra de Deus produz fé em nós (Rm 10.17). c) De­vemos fazer nossas petições segundo a vontade de Deus (1 Jo 5.14), e um dos meios de saber-se a vontade de Deus é através da sua Palavra.
Na vida cristã, e no trabalho do Senhor em geral, o Espírito Santo só nos lembrará o texto bíblico preciso, se de antemão o conhecermos (Jo 14.26). - É possível o leitor ser lembrado de algo que não sabe? Pense se é possível! Portanto, o Espírito Santo quer não somente encher o crente, mas também encontrar nele o instrumento com que operar     a Palavra de Deus.
Ter o Espírito e não conhecer a Palavra, conduz ao fa­natismo. Pessoas assim querem usar o Espírito em vez de Ele usá-las. Conhecer a Palavra e não ter o Espírito conduz ao formalismo. Estes dois extremos são igualmente perigo­sos.
d. Ela enriquece espiritualmente a vida do cristão (SI 119.72). Essas riquezas vêm pela revelação do Espírito, primeiramente (Ef 1.17). O leitor que procurar entender a Bíblia somente através do intelecto, muito cedo desistirá do seu intento. Só o Espírito de Deus conhece as coisas de Deus (1 Co 2.10). Um renomado expositor cristão afirma que há 32.000 promessas na Bíblia toda! Pensai que fonte de riqueza há ali! Entre as riquezas derivadas da Bíblia es­tá a formação do caráter ideal, bem como a moldagem da vida cristã como um todo. É a-Bíblia a melhor diretriz de conduta humana; a melhor formadora do caráter. Os princípios que modelam nossa vida devem proceder dela.
A falta de uma correta e pronta orientação espiritual dentro da Palavra de Deus. especialmente quanto a novos convertidos, tem resultado em inúmeras vidas desequilibradas, doentes pelo resto da existência. Essas, só um milagre de Deus pode reajustá-las. Pessoas assim, ferem-se a si mesmas e aos que as rodeiam.
A Bíblia é a revelação de Deus à humanidade. Tudo que Deus tem para o homem e requer do homem, e tudo que o homem precisa saber espiritualmente da parte de Deus quanto à sua redenção, conduta cristã e felicidade eterna, está revelado na Bíblia. Deus não tem outra revela­ção escrita além da Bíblia. Tudo o que o homem tem a fa­zer é tomar o Livro e apropriar-se dele pela fé. O autor da Bíblia é Deus, seu real intérprete é o Espírito Santo, e seu tema central é o Senhor Jesus Cristo. O homem deve ler a Bíblia para ser sábio, crer na Bíblia para ser salvo, e prati­car a Bíblia para ser santo.
2. Como devemos estudar a Bíblia
a.  Leia a Bíblia conhecendo seu autor. Isto é de supre­ma importância, é a melhor maneira de estudar a Bíblia. Ela é o único livro cujo autor está sempre presente quando é lida. O autor de um livro é a pessoa que melhor pode ex­plicá-lo. A Bíblia é um livro fácil e ao mesmo tempo difícil; simples e ao mesmo tempo complexo. Não basta apenas ler suas palavras e analisar suas declarações. Tudo isso é indispensável, mas não basta. É preciso conhecer e amar o Autor do Livro. Conhecendo o Autor, a compreensão será mais fácil.
Façamos como Maria, que aprendia aos pés do Mestre (Lc 10.39). Esse é ainda o melhor lugar para o aluno!
b.  Leia a Bíblia diariamente (Dt 17.19). Esta regra é excelente. Presume-se que 90fr dos crentes não lêem a Bíblia diariamente: não é de admirar haver tantos crentes frios nas igrejas. Não somente frios mas anãos, raquíticos, mundanos, carnais, indiferentes. Sem crescimento espiri­tual, Deus não nos pode revelar suas verdades profundas (Mc 4.33; Jo 16.12; Hb 5.12). É de admirar haver pessoas na igreja que acham tempo para ler, ouvir e ver tudo, me­nos a Palavra de Deus. Motivo: Comem tanto outras coisas que perdem o apetite pelas coisas de Deus! É justo ler boas coisas, mas, é imprescindível tomar mais tempo com as Escrituras. É também de estarrecer o fato de que muitos líderes de igrejas não levam seus liderados a lerem a Bíblia. Não basta assistir aos cultos, ouvir sermões e teste­munhos, assistir a estudos bíblicos, ler boas obras de lite­ratura cristã: é preciso a leitura bíblica individual, pes­soal. Há crentes que só comem espiritualmente quando lhes dão comida na boca: é a colher do pastor, do professor da Escola Dominical, etc. Se ninguém lhes der comida eles morrerão de inanição.

c.  Ler a Bíblia com a melhor atitude mental e espiri­tual. Isto é de capital importância para o êxito no estudo bíblico. A atitude correta é a seguinte: a) Estudar a Bíblia como a Palavra de Deus, e não como uma obra literária qualquer, b) Estudar a Bíblia com o coração, em atitude devocional, e não apenas com o intelecto. As riquezas da Bíblia são para os humildes que temem ao Senhor (Tg 1.21). Quanto maior for a nossa comunhão com Deus, mais humildes seremos. Os galhos mais carregados de frutos são os que mais abaixam! É preciso ler a Bíblia crendo, sem duvidar, em tudo que ela ensina, inclusive no campo sobrenatural. A dúvida ou descrença, cega o leitor (Lc 24.25).
d.  Leia a Bíblia com oração, devagar, meditando. As­sim fizeram os servos de Deus no passado: Davi (SI 119.12,18); Daniel (Dn 9.21-23). O caminho ainda é o mes­mo. Na presença do Senhor em oração, as coisas incom­preensíveis são esclarecidas (SI 73.16,17). A meditação na Palavra aprofunda a sua compreensão. Muitos lêem a Bíblia somente para estabelecerem recordes de leitura. Ao ler a Bíblia, aplique-a primeiro a si próprio, irmão, senão não haverá virtude nenhuma.

e.  Leia a Bíblia toda. Há uma riqueza insondável nisso! É a única maneira de conhecermos a verdade completa dos assuntos nela contidos, visto que a revelação de Deus que nela temos é progressiva. - Como o leitor pensa compreen­der um livro que ainda não leu do princípio ao fim? Mesmo lendo a Bíblia toda, não a entendemos completamente. Ela, sendo a Palavra de Deus, é infinita. Nem mesmo a mente de um gênio poderia interpretá-la sem erros. Não há no mundo ninguém que esgote a Bíblia. Todos somos sem­pre alunos (Dt 29.29; Rm 11.33,34; 1 Co 13.12). Portanto, na Bíblia há dificuldades, mas o problema é do lado huma­no. O Espírito Santo, que conhece as profundezas de Deus, pode ir revelando o conhecimento da verdade, à medida que buscamos a face de Deus e andamos mais perto dele. Amém.

terça-feira, 25 de abril de 2017

DIGA "NÃO" À GREVE DO DIA 28/04/2017...É PETRALHICE!!!

DIGA NÃO À “GREVE”
DO DIA 28/04/2017

É TRAMÓIA PETRALHA!!!

Não passa de uma tentativa
de salvar a pele do Lula!!!

Remake: Sérgio Aparecido Dias

Ciça Alves (Facebook)
21 h · 
*https://www.facebook.com/images/emoji.php/v8/f9/1/16/1f1e7_1f1f7.pngAviso Urgente https://www.facebook.com/images/emoji.php/v8/f9/1/16/1f1e7_1f1f7.png *
*Não haverá greve geral no dia 28.*
*É apenas uma manifestação da CUT e seus sindicatos afiliados
em defesa do maior ladrão do Brasil o meliante Lula.*
*A CUT também está envolvida em vários crimes
e recebia milhões do desgoverno Petista.*
*Cidadão de bem contra corrupção não apoia esse manifestação.*
*Dia 28 é manifestação de quem apoia bandidos.*
*https://www.facebook.com/images/emoji.php/v8/f36/1/16/1f44a_1f3fd.pngNão participe https://www.facebook.com/images/emoji.php/v8/f36/1/16/1f44a_1f3fd.png *
*Lula na cadeia já*


LULA LÁ!!! LULA LÁ!!! LULA LÁ (NA PAPUDA)!!!

sábado, 22 de abril de 2017

PATATI...PATATÁ...TERETETÊ...BLÁ...BLÁ...BLÁ


OS DIAS ERAM ASSIM

OS DIAS ERAM ASSIM
Publicado no Facebook no dia 22/04/2017
Autoria: Ciça Alves
Remake: Sérgio Aparecido Dias

"Os Dias Eram Assim"

Em 1970, tinha 4 anos de idade, eu e meus amigos brincávamos até tarde da noite, sem nos preocuparmos com bala perdida. Quando o Pai ou a Mãe gritavam, "Tá na hora",
respeitosamente nos recolhíamos para dentro de casa.


"Os Dias Eram Assim "

Víamos a polícia militar nas ruas, nas praças, além da PE (Polícia do Exército), dando toda segurança que todo cidadão tem direito e é o dever do Estado.

"Os Dias eram Assim "

Nas Escolas Públicas, o aluno respeitava o Professor. Quando o Professor(a) ou Diretor(a)
entrava na sala de Aula, os alunos ficavam de pé, em sinal de respeito.


"Os Dias Eram Assim "

O ladrão tinha medo da Polícia.

"Os Dias Eram Assim "

A repressão realmente existiu. Mas os que foram reprimidos, foram os que justamente hoje,
estão sendo delatados, investigados, denunciados e alguns presos por Corrupção.
Os Dias Eram Assim!

Ciça Alves / via Facebook

quarta-feira, 19 de abril de 2017

VOANDO COMO AS ÁGUIAS

VOANDO COM AS SUAS PRÓPRIAS ASAS
Do livro “Voando Como as Águias”, de Kenneth Hagin.

Deuteronômio 32.11,12

Como a águia desperta o seu ninho, se move sobre os seus filhos, estende as suas asas, toma-os e os leva sobre as suas asas, assim, só o SENHOR o guiou; e não havia com ele deus estranho.
Logo depois que os bebês águias nascem, eles pas­sam um tempo tranqüilos. Aconchegam-se no ninho macio e emplumado, e tudo de que necessitam lhes é trazido. Entretanto, um dia, as coisas mudam. Chega o momento em que a águia mãe agita o ninho!

Agitando o ninho

No momento certo, a águia mãe desce no ninho, bate e agita as suas asas, e faz com que seus filhotes acordem e andem. Então, ela retira do ninho, todas as folhas e penas macias, de tal forma que as aguiazinhas não fiquem confortáveis - quando as jovens águias tentam se deitar, os galhos as espetam. É o momento dos bebês crescerem!
Talvez, você esteja neste mesmo ponto na sua caminhada espiritual. Deus o proveu e o ajudou. Você conhece as Santas Escrituras, mas precisa crescer espiritualmente. É tempo de começar a crer nela por você mesmo.
Algumas vezes, as pessoas atingem uma posição na caminhada com Deus na qual elas se perguntam por que as coisas não estão tão confortáveis como costumavam ser. Provavelmente, isso aconteceu porque elas precisavam crescer! Talvez, Deus as esteja agitando, exatamente como a mamãe águia sacode o seu ninho e bate as asas em cima dos seus filhotes!
Isso é o que o Senhor pode fazer com você. Ele o agita e remove todas as penas macias - tudo na sua vida que faz com que seja fácil ficar espiritualmente complacente. Deus tenta ajudá-lo a levantar-se para começar a sair do seu lugar de conforto e aprender como crer Nele por você mesmo (e não apenas para você mesmo, mas também em benefícios de outros!).

Queda livre

Depois de uns dias de agitação dos seus filhotes e de fazê-los caminhar no ninho espinhento, a mãe entra no ninho, localiza-se atrás deles e bate as asas até que, finalmente, uma das águias sobe até a beirada do ninho.
Entretanto, a águia mãe não fica satisfeita. Com o bater das suas asas, ela, deliberadamente, empurra o primeiro filhote até a beirada, para fora. E lá se vai a pequenina águia em queda livre!
Talvez você pense: "Irmão, esse filhote sou eu! Eu me sinto como se acabasse de ser empurrado para fora da minha vida confortável, e estivesse em queda livre. E daí, o que tenho de fazer?”.
Você tem de fazer o que viu outros cristãos fazerem - usar as suas asas da fé e crer em Deus!

O Pai celestial não o deixará cair

Pobre águia! A única coisa que ela sabe fazer é o que viu mamãe e papai fazerem com aquelas suas asas enormes todas as vezes que voavam para o ninho. Assim, a aguiazinha começa a bater as asas - mas não adianta muito. Então, antes de quase baterem no chão, a mamãe ou o papai se arremetem bem por baixo dela e, gentilmente, seguram-na em suas grandes asas, de volta para o ninho.
Eu gosto disso. Você pode estar no seu limite, prova­velmente, olhando para baixo em uma situação que lhe parece impossível. Ou quem sabe, solto no ar, experimentando suas asas da fé pela primeira vez. Parece como se você estivesse a ponto de bater no fundo de uma rocha e então estará tudo terminado. No entanto, amigo, o Pai celestial não o deixará cair (Ex 19.4)!

DEUTERONÔMIO 32.11

11 Como a águia desperta o seu ninho, se move sobre os seus filhos, estende as suas asas, toma-os e os leva sobre as suas asas.

Sem dúvida, este versículo refere-se à parte de trás da asa de um pássaro, onde o filhote aterrissa quando está na asa dos seus pais.
É interessante notarmos que, logo no dia seguinte, as águias passam pelo mesmo teste. Mas, desta vez, elas estão muito mais forte e voam um pouco mais, antes de serem apanhadas pelas asas de seus pais.
Então, depois de cerca de três dias exercitando-se, de repente, acontece: a pequena águia começa a voar alto com as asas estendidas, majestosamente, na corrente de ar ascendente ao vento. Ela está voando!
Imagino a pequena águia enquanto voa. Ela olha em volta, para a maravilhosa criação de Deus, e pensa: "Oh, isso é divertido!"
O mesmo acontece quando você, pela primeira vez, salta da segurança do seu ninho espiritual e crê em Deus. Não é muito divertido no começo. Mas, uma vez que realmente aprende a voar - a confiar e crer em Deus em todas as situações da sua vida -, você não tem alternativa!
Depois de algum tempo, as asas da sua fé se tornam fortes, porque você as exercita constantemente. Então você não terá problema algum quando um abismo de provas tentar atingi-lo - porque está acostumado a confiar na Palavra de Deus. Dessa forma, você salta exatamente no meio daquele grande abismo, sabendo que a Palavra irá sustentá-lo e conduzi-lo em segurança até o outro lado. Bem, por volta do quinto dia, a mamãe águia não precisará mais empurrar seus filhotes para fora do ninho. Em vez disso, eles se levantam e voam juntos!

                   NÃO TENHA MEDO DE EXPERIMENTAR AS TUAS ASAS!

terça-feira, 18 de abril de 2017

O que a Bíblia fala sobre anjos,
arcanjos, querubins e serafins

Pr. Walter Brunelli


Não existe uma exposição bíblica específica sobre angeologia. Toda abordagem sobre este tema é em forma de estudo sistemático, com uso de paralelismo hermenêutico de tópicos, ou seja, através da interpretação de textos paralelos.

Na figura ao lado, o anjo anuncia aos pastores o nascimento de Jesus Cristo. Diferente do imaginário popular retratado nesta imagem, na Bíblia Sagrada não existe o relato da existência de anjos na faixa-etária infantil.

Os anjos seguem ordens hierárquicas (Colossenses 1.16)


Deus se mantém no céu, é o Soberano, o Criador de todas as coisas.

Na questão dos anjos, está revelado que eles foram criados antes do mundo que conhecemos e vivemos, eles são em número incontável e que existe entre eles uma hierarquia estabelecida por Deus (Jó 38.6-7; Hebreus 12.22).

As classes conhecidas de anjos seguem o plano divino de autoridade. A classificação é: arcanjos, querubins e serafins.

Segundo Colossenses 1.16 e 1ª Pedro 3.22, a organização angelical segue uma hierarquia distinta em cinco principais representações: tronos (thrónoi); domínios (kyrioótetes); principados (arkai); potestades (exousiai) e poderes (dynámeis). Essa classificação refere-se à esfera do governo, com a finalidade de distingui-los dos demais anjos que somam exércitos e atuam diante de Deus, do Universo e do ser humano, em particular.

Na organização dos anjos, a Bíblia fala mais: primeiros príncipes (Daniel 10.13); anjos da guarda de todos e de crianças (Hebreus 1.14; Mateus 18.10); e, anjos eleitos (1ª Timóteo 5.21).
O princípio de autoridade que Deus criou sofreu uma tentativa de rebelião, por parte de Satanás, diante do fracasso o mesmo foi precipitado do céu (Ezequiel 28.1).

• Os anjos Miguel e Gabriel

Entre os anjos, apenas dois são citados nominalmente, Gabriel e Miguel. O fato de haver a revelação apenas de dois nomes não dá margem para crer que os outros anjos não tenham os seus.

Os anjos têm intelecto, emoções e vontade, ou seja, uma personalidade, um indício de que cada um deles tenham nomes próprios (1ª Pedro 1.12; Lucas 2.13; Judas 6).

Gabriel significa poderoso, herói de Deus. E Miguel é uma variante de Miqueias e Micaías, e significa “quem é como Deus?”. Não nos é revelado o porquê deste significado, mas ponderamos que seja em oposição às disposições hostis de Satanás, que tentou ser igual a Deus (Isaías 14.14).

Miguel é descrito como arcanjo, o anjo patrono e guardião do povo de Israel, que lutou contra o diabo (Daniel 10.13, 21; 12.1; Judas 9; Apocalipse 12.7).

Na Bíblia, Gabriel não tem classificação definida. Não temos a informação que ele seja um arcanjo, querubim ou serafim. Foi portador de mensagens muito especiais (Daniel 8.16; 9.21; Lucas 1.19, 26). Porém, no livro de Tobias, um apócrifo, ele está arrolado como um dos sete arcanjos que estão na presença de Deus.

• Arcanjos

O termo “arch” quer dizer “sumo”, “chefe”. Trata-se de uma categoria de anjos que exercem função superior aos demais, a expressão designa algum poder altíssimo. Em todo o Novo Testamento, ele aparece apenas em Judas 9 e 1ª Tessalonicenses 4.16.

Existe uma corrente de estudiosos da Bíblia que alegam haver apenas um arcanjo, que é Miguel. Mas, embora haja apenas uma citação bíblica, o contexto das Escrituras dá a entender que hajam outros.

No dia do arrebatamento o Senhor será acompanhado dos arcanjos:
 “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus” - 1ª Tessalonicenses 4.16.
Se houvesse apenas um arcanjo, a preposição viria articulada “do” arcanjo, porém a preposição é “de”, passando a ideia que haja mais de um. Pode-se observar isso no idioma original.

Os “principados” (Colossenses 1.16), para os escritos pós bíblicos são tipos de arcanjos. As explicações judaicas dadas sobre este tema indicam que tais anjos têm sob suas ordens, vasto número de seres angelicais. Naturalmente, todos estão sujeitos a Deus.

No livro de Daniel, Miguel é citado como “um dos primeiros” e mencionado por Gabriel (10.13, 21). Na carta de Judas, ele é citado para disputar o corpo de Moisés (versículo 9), em Apocalipse ele aparece acompanhado de outros anjos lutando contra Satanás (12.7).

O livro de Enoque, apócrifo, dá o nome de sete arcanjos, a saber: Uriel, Rafael, Raquel, Saracael, Miguel, Gabriel e Remiel. Segundo é dito ali, a cada um deles Deus entregou uma província sobre a qual reina. Os livros apócrifos não são considerados inspirados pelo Espírito Santo.

• Os querubins

O vocábulo querubim ou querubins, acha-se pela primeira vez em Gênesis 3.24. Tem raiz no verbo “querub”, que significa “guardar”, “cobrir”, “proteger” e, também, “celestial”. A palavra “querubim” não ocorre no grego secular; é uma transliteração do hebraico, ou aramaico, e daí a variedade de terminação no plural.

Eles representam a classe dos adoradores, tanto pela função quanto pela aparência de animais. São associados ao trono de Deus e mencionados tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Cogita-se que o Criador honre a criação animal por intermédio deles.

No Salmo 18.6-10, Davi escreveu em seu cântico que angustiado clamou ao Senhor e Ele desceu cavalgando sobre um querubim e voou, deslizando sobre as asas do vento.

Os querubins constituem uma ordem muito elevada entre os anjos. Eles exercem a função de guardiões. Quando o homem pecou, o Senhor fechou o jardim do Éden, e, para protegê-lo, pôs um querubim e uma espada flamejante ao oriente e ocidente (Gênesis 3.24).


Sem nenhuma conotação com a idolatria, Deus ordenou que se pusessem na tampa da arca da aliança, o propiciatório, estátuas de dois querubins feitas em ouro, voltadas uma de frente para a outra (Êxodo 25.17-18; 2º Reis 19.15; Salmo 80.1). Não era para idolatrá-los, apenas o sumo sacerdote, uma vez ao ano, entrava no local onde a arca estava para fazer o cerimonial de expiação pelo povo.

Salomão também usou a figura de dois querubins de madeira, revestidos de ouro, como ornamento na construção do templo (1º Reis 6.23-28).

Os querubins têm definições de aspectos variados. Podem ter rosto de águia, de touro e de homem. Às vezes aparecem descritos como “cheios de olhos”, com quatro asas e em outras com seis (Ezequiel 10; 16; Apocalipse 4.8). Em outra situação, têm a aparência dos serafins (Ezequiel 1.10; Isaías 6.2; Apocalipse 4.7).

O profeta Ezequiel descreve as plantas dos pés dos querubins como de uma bezerra, têm quatro cabeças, sendo que seus pés seguem em direção para onde suas cabeças olham (1.7; 10.11-12). O profeta ainda revela que rodas são movidas pela força desses anjos (10.16-17).

A expressão “zoon”, encontrada no livro de Apocalipse (4.6-11) significa “o que vive”. Diferente de “therion”, que significa “uma fera”. Os querubins não devem ser considerados animais, e, sim, criaturas viventes.

Antes de sua queda, Satanás era um querubim ungido (Ezequiel 28.14,16). Andava no meio de pedras afogueadas (Ezequiel 28.13,14). Como os outros querubins, Satanás é representado na Bíblia pela figura de animais: a serpente no jardim do Éden, e nos livros de Isaías e Apocalipse como um mitológico grande lagarto, um dragão (Gênesis 3.1-6; Isaías 27.1; Apocalipse 12.9; 20.2).


Descobertas arqueológicas na Palestina têm trazido alguma luz às representações antigas dos querubins. Em Samaria, painéis de marfim apresentam uma figura composta com um rosto humano, corpo de animal quadrúpede, e duas asas elaboradas e vistosas.





• Os serafins

O vocábulo “serafim” deve vir da raiz hebraica “sarafh”, cuja raiz primitiva queria dizer “consumir com fogo”. Hebraístas a traduzem como “queimadores”, “ardentes”, “brilhantes”, “refulgentes”, “amor”, “nobres”.

Apenas na chamada ministerial de Isaías é que encontramos os serafins destacados. Segundo a visão do profeta, eles são agentes de purificação pelo fogo, têm forma humana, apesar de possuírem seis asas. Veja: Isaías 6.1-7.

Na classe dos anjos, os serafins desempenham função no coro celestial, entoando “Santo, Santo, Santo”, incessantemente. Intérpretes bíblicos afirmam que o louvor seja dirigido ao Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, à Trindade, considerando o “nós”, encontrado em Isaías 6.8.

Eles são a classe que menos está mencionada na Bíblia.


__________

O texto está liberado para cópias, desde que citados o nome do autor e o link (HTML) do blog Belverede.

Artigo escrito com a intenção de auxiliar nas lições da revista Lições da Palavra de Deus - Anjos; Mensageiros de Deus, cujo comentarista é o Pr. Walter Brunelli (Editora Central Gospel).


Consultas: Novo Dicionário da Bíblia (Edições Vida Nova); Os Anjos - Sua Natureza e Ofício (Severino Pedro da Silva - CPAD); Bíblia de Estudo Almeida (notas e dicionário - 1ª edição - SBB); A Bíblia Anotada Expandida, de Charles C. Ryrie (apêndice Um Resumo da Doutrina Bíblia, páginas 1287 e 1288, 1ª impressão - 2007 - Editora Mundo Cristão).


sábado, 15 de abril de 2017

A INSCRIÇÃO "INRI" É VERDADEIRA?


 A INSCRIÇÃO                                É VERDADEIRA?
                               
                         Pr. Sérgio Aparecido Dias (Manaus-AM, 22/0/2016)

Desde muitos séculos a Igreja Católica Romana persiste num grave erro em suas gravuras e quadros narrativos da crucificação de Cristo. O caso mais conhecido e divulgado desses erros é sobre a escrita na tabuleta colocada acima da cabeça de Jesus. De acordo com o clero católico romano, o que estava escrito era tão somente uma sigla em latim, com as letras I.N.R.I. -  significando “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus”. Mas não é isso que está escrito na Bíblia! Vejamos a verdade!

Lc. 23:38 - Também sobre ele estava esta epígrafe [em letras gregas, romanas e hebraicas]: Este é o Rei dos Judeus.

 João 18:19 - Pilatos escreveu também um título e o colocou no cimo da cruz; o que estava escrito era: Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus. 20 Muitos judeus leram este título, porque o lugar em que Jesus fora crucificado era perto da cidade; e estava escrito em hebraico, latim e grego. 21 Os principais sacerdotes diziam a Pilatos: Não escrevas: Rei dos judeus, e sim que ele disse: Sou o rei dos judeus. 22 Respondeu Pilatos: O que escrevi escrevi!

No Novo Testamento Grego lemos: Iesous Nazwraios Basileus Ioudaios (Iesous Nazouraios Basileous Ioudaios) – Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus!

Em latim, estava grafado: IESVS NAZARENVS REX IVDAEORVM (Iesus Nazarenus Rex Iudaeorum) – Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus!

Fica mais difícil colocar os caracteres hebraicos aqui, mas podem ser vistos na gravura acima.

Notas: No grego não existe a consoante “L”; sempre é colocada a consoante IOTA, que corresponde ao nosso “I”. A consoante “s” no meio das palavras, em grego é o Sigma, “s ”, mas o Sigma do final das palavras é escrito de maneira diferente do que está grafado acima, devido à sua não existência nos caracteres de símbolos. O mesmo vale para o Epsilon “e utilizado, quando seria, na verdade, um Eta. Contudo, tanto o som quanto os significados permanecem os mesmos em ambas as grafias. Creio não ser necessário colocar os termos hebraicos e latinos, tendo em vista o Novo Testamento ter sido escrito em grego. Basta a informação bíblica sobre eles.


F I M

HOMENAGEM AOS PAIS E SUAS PROFISSÕES

HOMENAGEM AOS PAIS E SUAS PROFISSÕES Pr. Sérgio Aparecido Dias - Meu pai é MECÂNICO. O mecânico conserta as coisas e as faz funcionar de no...