domingo, 13 de setembro de 2009

MINHA COMUNICAÇÃO OBJETIVA

(Uma homenagem – quase um plágio - ao estilo de Millôr Fernandes)
CRÔNICA DE:  Sérgio Aparecido Dias
(...e de quem mais poderia ser?)
            Qualquer dia desses eu expludo!  Não consigo fazer-me entender!  Estarei falando grego ou coisa parecida?  Noutro dia, por exemplo, à mesa, enquanto cortava a língua com a faca ( refiro-me à língua de vaca, ensopada ), meu filho fez-me uma pergunta embaraçosa.  Matei-o com um sopapo certeiro ( falo do mosquito que pousou no meu garfo ).  Era sobre educação sexual.  Fiquei meio sem jeito, procurando a melhor maneira de responder.  Nesse momento, minha mulher vinha trazendo a sopa e eu acertei-lhe um chute no traseiro ( refiro-me ao gato que estava debaixo da mesa ).   Como duas cabeças pensam melhor que uma, resolvemos ensiná-lo como se deve fazer a coisa direito ( falo da maneira correta de se utilizar o guardanapo ).   Tentei explicar, enquanto o atirava ao cesto de lixo ( refiro-me ao guardanapo usado ) :
-          “ Não existem cegonhas, filho!  Lembra-se da cadela da sua avó? 
                     ( eu  me referia à cadela de estimação )
                        pois bem, todos nascemos assim!”
                        - “ Daquela cadela papai? ”
                        - “ Não, não, meu filho; das outras! ” ( eu me referia às outras mães ).
            A essas alturas eu estava suando frio e, minha esposa, nervosamente, mordia a perna ( estou me referindo à perna do frango ).  
                        - “ Quer dizer que eu saí da mamãe? ”
-          ” Sim meu filho; e foi maravilhoso, apesar do mau cheiro”
-          (eu me referia ao banheiro da enfermaria). “Nunca me esqueço, filho:
-          o movimento do hospital, bebês prá lá e prá cá, aquela correria toda, você sor-
rindo e aqueles dentes de ouro que cintilavam à luz ( eu falava dos  dentes do médico )!  São coisas, meu filho, que eu nunca esquecerei,! ”
            Minha mulher me olhava com os olhos arregalados e eu salpiquei-lhes pimenta do reino
( falo das rodelas de tomate da salada ).
-          “ Ora querida - resmunguei - , um dia ele terá de saber dessas coisas
-          e nem todos explicam de maneira clara! ”
                E continuo pensando a mesma coisa: falta, hoje em dia, a clareza de expressão, as pessoas encontram uma certa dificuldade em articular claramente os seus pensamentos e as suas idéias!  Daí as grandes confusões e os inevitáveis conflitos.  Ao guarda que me parou outro dia na estrada, por exemplo, eu fui bastante claro e disse:
- “ Estou indo socorrer a minha mãe, seu guarda!  Tenho de tirar
o balde que enganchou em suas patas, pois ela não pára de dar coices 
( eu me referia à vaca da fazenda )!
            O guarda olhou para mim, retirou o lápis e o caderno de multas e comeu, mastigando tranqüilamente ( estou falando da maçã que ele trazia consigo ).  Fiquei irritado ao vê-lo urinar no pneu do meu carro ( refiro-me ao cachorro que passava por  alí ) e gritei:
                        - “ Sai daí, seu cachorro sarnento!!! ”
                        - “ Isso é comigo? ” - rugiu o guarda.
                        - “ Não, não, claro seu guarda! É com o outro alí ” - e apontei o cão.
            Tudo terminaria bem, se o guarda tivesse me compreendido.  Mas ele resolveu trazer-me à delegacia.  É de onde escrevo agora, com o caderno sobre os joelhos, mascando as folhas ( refiro-me às folhas da laranjeira, próxima à minha cela ).  Nunca entenderei as outras pessoas!  Que disse eu de errado?  Que foi que eu fiz?  Até agora fico sem saber se foi a Sociedade Protetora dos Animais que me denunciou, ou se foi o Sindicato dos Distribuidores de Leite.  Talvez tenha sido o Sindicato.  Mas Deus é minha testemunha de que eu tentei chegar a tempo.
                                                     
        F I M (Sim, porque já acabou!!!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A BÍBLIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS - Bibliologia Introdutória

A BÍBLIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS Bibliologia Apresentação A Casa Publicadora das Assembléias de Deus tem a grata satisfação de apre...