segunda-feira, 12 de abril de 2010


LULALÁ & DILMAQUI... 
UM GOVERNO DE AIATOLÁ DO TIPO OI-EU-TÔ-LÁ!...

Nos últimos meses não respondi cartas por puro e simples cansaço. Depois foi porque ganhei um computador novo [o meu laptop há tinha quase cinco anos], e o pessoal que instalou Os novos programas no computador o fez na época em que mudávamos de .com para .net, e, por causa disso e de minha viagem à Turquia, Jordânia e Israel, não tive como re-configurar tudo outra vez, já que eu mesmo, sozinho, não sou bom nessas coisas. Portanto, não podia e nem posso ainda responder cartas; elas não vão...
Hoje, no entanto, abri o e-mail do que me chega já pelo .net do site [recebo, mas não consigo ainda enviar], mas confesso que a temática me deu dor nos ossos antes mesmo de tentar esboçar a 1ª resposta.
É muito nada sobre nada; é muita fofoca, tipo: “O senhor sabe o que o fulano diz sobre o senhor?”; ou então são os temas de sempre, para os quais não tenho mais respostas novas a dar, pois tudo gira em torno do sexo adoecido, da igreja adoecida, do cristianismo falido; ou, quando não [...], são ataques de Severos malucos a gente boa de Deus como meu amigo querido Ariovaldo Ramos.
Então meus braços descaem... Não tenho forças para responder mais nada disso. O meu site www.caiofabio.net está entupido de tais respostas e opiniões minhas a tais coisas; as quais me nego a responder definitivamente de-novo-velho.
Aplicar o coração a tais repetições é como mergulhar num pesadelo recorrente, que nunca acaba, e que jamais deixa que você também tenha o poder de acordar e dizer: “É só um pesadelo!” — sim, pois os mesmos temas não buscam resposta, mas apenas um retorno particular ao missivista que tem na minha resposta um fetiche...
Em meio a tantas cartas que eu já disse que não mais respondo em razão de que as respostas a elas existem em abundancia no meu site, vi que havia algumas indagações sobre minha Opinião acerca do que o “alinhamento” Lula , na ONU, e Dilma aqui, na Presidência, podem fazer de mal ao Brasil.
Ora, simplificando digo o seguinte:
1.   Não tenho nada contra o Lula desejar ser Sec. Geral da ONU; é direito dele sonhar... O problema é que ele não está fazendo isto como ex-presidente, mas como o atual Presidente em Exercício do Brasil; o que tanto é algo anômalo na ONU, como também é aético e perigoso para o Brasil; posto que assim fazendo ele use o Brasil como respaldo político e econômico para fazer seu lobby mundial; usando não apenas o peso político do cargo, mas, além disso, o dinheiro do Brasil para fazer tal Campanha mundial... Assim, a “máquina pública” do governo brasileiro está sendo usada no mínimo duas vezes: para financiar o PAC, que é o Programa de Apoio às Campanhas [do Lula], e não um programa de aceleração do crescimento [prova disso é que o PAC 1 não foi implementado em quase nada e já se lançou o PAC 2], e em razão da Campanha dupla do Lula, por si mesmo e pela Dilma.
2.   Quando um Presidente pleiteia um cargo como esse, de Sec. Geral da ONU, o que é inédito na história daquela instituição/fórum/mundial, ele, o postulante, deve levar as suas opiniões fundadas em consensos estabelecidos em um programa de governo exposto ao povo e aprovado nas eleições; mas, ao contrário disso, o Lula usa o poder do cargo para fazer média e vínculos políticos nem sempre recomendáveis, a fim de dar base de sustentação ao seu projeto pessoal e ideológico, sem qualquer consulta ao povo que a ele emprestou tal poder pela via do processo democrático.
3.   Se o Lula tivesse dito nas duas últimas eleições que ganhou que suapolítica externa seria essa que se tem visto nos últimos dois anos, e em especial no último ano, e, mesmo assim tivesse sido eleito, por mais que eu achasse a mesma coisa sobre sua insanidade nessa área, ficaria calado, ou, pelo menos, diria o que digo com menos agressividade. Mas não foi assim... Portanto, digo que se trata de uma agenda pessoal, praticada como política externa oficial do Brasil, quando de fato não o é. Ou seja: se ele tivesse sido eleito com tal programa de PAC Mundial, mesmo reconhecendo o surto megalômano do “cara”, diria que era insanidade histórica total, bem como de natureza política insana, e, sobretudo, espiritual; porém, ainda assim aceitaria, embora não sem emitir a minha opinião. O problema é que o Lula jamais disse em nenhuma de suas campanhas que, uma vez eleito, levaria o Brasil para dentro dos piores antros de conflito mundial, apenas porque ele, o Lula, já tinha uma segunda agenda pronta para depois do fim do seu mandato; ou seja: tornar-se Sec. Geral da ONU.
4.   Além disso, o bem senso e a ética mandariam que ele deixasse a Presidência, para, então, com meios e carismas próprios, como fazem os demais postulantes ao posto da ONU, lançar-se à sua empreitada. Do contrário, ele usa a Presidência da Republica como trampolim para seu projeto particular; e com isso põe o Brasil numa lista ruim do ponto de vista das nações que lutam por um mundo sem loucuras e insanidades.
5.   Além disso, dado ao “histórico” que eu já cri no passado que no passado tivesse ficado, vejo que não sendo assim, o que o Lula busca como projeto político mundial e pessoal é tornar-se o homem mais importante do mundo, como um Sec. Geral da ONU alinhado com tudo aquilo que faz diferença na Terra entre legalidade e ilegalidade entre nações e nações, escolhendo o lado bandido das forças políticas do planeta, a fim de tornar-se o líder desses que não amam a humanidade, mas apenas seu próprio fanatismo político e ideológico; no caso das ligações com figuras terroristas, ligações de banditismo mundial.
6.    Fazer o que já está fazendo enquanto ainda é Presidente do Brasil, usando o Brasil e seu atual poder econômico como força de barganha para seu projeto mundialulal, ele, o Lula, vai se tornando uma Lula Gigante, surtada, buscando ter um tentáculo em cada poder maligno que ele julga poder dar a ele tudo, se pelo menos meio prostrado ele os adorar...
7.   Ora, se tudo isto acontecer [...], e que é errado em si mesmo, mas se não houver o correspondência de poder transferido dele para a eleição da Dilma, terá sido vergonhoso para o Brasil, e nem ainda por isto estaremos livres de sermos postos em lugares de risco [...], mas, pelo menos, não se terá o alinhamento entre o Lula das Nações Divididas, a ONU, que de fato é uma OND — e o Governo do Brasil; em tal caso o que faria o Lula Sec. da ONU falar apenas em nome de seus coleguinhas de tirania e de terror, mas não do Brasil. Mas com a Dilma aqui eleita por ele e por mais ninguém [...], posto que todos saibam que sem o Lulaaquinão tem Dilmalá, o que se terá será o alinhamento dos poderes do Lula Global com a Dilma Nacional, o que dará ao Lula Gigante um poder oficial de falar como Sec. Geral da ONU e Eminência Absoluta do Brasil; o que nos colocará numa zona de perigo sem tamanho nos anos por vir...
8.   A Dilma não existe a não ser como ecolulal... Portanto, elegê-la é também dar ao Lula o poder de praticar as políticas de solidariedade com amigos seus Marcolianos de natureza e amplitude mundial, sendo que com o amparo irrestrito do Brasil; coisa essa que se faria oficial pela autenticação ao Lula recebida em razão de ele ter elegido a Dilma.
9.   O Brasil está tendo a sua primeira boa e genuína chance de se tornar uma nação desenvolvida não apenas economicamente, mas também do ponto de vista da distribuição de renda real, e, além disso, podendo figurar entre as nações sóbrias da Terra, as genuinamente democráticas e pró-liberdade; o que pelas sinalizações do Lula não será um fato de âmbito político mundial, já que ele tem determinado quem são os seus colegas de sonho global; todos tiranos ou terroristas de Estado, ou mesmo surtados com desejo genocida.
10.                   Pode ser que eu esteja enganado, e que o Lula esteja fazendo essa Campanha Global por crer mesmo na causa do Irã, da Venezuela que virou uma moela do Hugo Chaves, ou que deseje apenas ser “o cara” [que o Obama jamais diria hoje que ele era ou seria...] dos pobres do Planeta ou dos radicais da morte aos quais ele chama de companheiros... Ora, se assim for é mal para nós também, mas se pelo menos tivéssemos outro governo que não fosse um Lulaaqui do ponto de vista político, poderia estabelecer a distinção para o mundo entre o Lula e o Brasil, o que hoje não possível, e nem o será se a Dilma ganhar.
11.                   O fato é que temos a nossa melhor chance histórica de fazermos parte de Grupos menos raivosos e hostis no Planeta se não for aDilmalulal quem venha a ganhar. Qualquer outro candidato que não seja o Lula versão de saia, saberá fazer a distinção entre o Brasil e o Lulalá na ONU, se ele lá conseguir chegar. Mas um Lulalá com uma Dilmaqui será um governo de “Aiatolá” do Lulalá e da Dilmalá também; e, com eles, nós todos.
12.                   E a conversa que agora o Lula pretende impor como tema da Campanha aqui, ou seja: que nunca antes na história desse país se terá a chance de se ter um Brasil Soberano, ainda que de soberania unida às forças da não soberania democrática na Terra — será do mesmo tom que ele antes se queixava de que contra ele fosse praticada; ou seja: de que a presença de qualquer outro vai parar o processo de sorte petrolífera dos últimos anos; o que tanto não é verdade como também não é verdade...
13.                   Preguei domingo passado direto de Jerusalém dizendo que não se trata apenas de um tema político [mesmo que a política seja um poderoso principado espiritual], mas, sobretudo, que se trata de um tema denatureza espiritual; afinal ele, o Lula, está se associando ao Principado da Pérsia, o Irã, contra Miguel e as forças espirituais vinculadas a Israel, que não mudaram desde que o Profeta Daniel assim advertiu, visto que os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis — mas, além disso, pela ignorância ambiciosa do Lula, por tal alinhamento louco, ele nos põe como pombas simples no meio do viveiro das serpentes...
14.                   Basta ao Brasil o seu próprio mal. Tudo o que não precisamos é de um Presidente com sede de poder mundial; e nem de uma sucessora dele que nada mais seja do que sua amante política sem voz e sem autodeterminação para além de sua paixão endividada para com seu chefe e senhor; no caso o Lula.
Infelizmente não tenho errado nas percepções dessas coisas, o site dá testemunho disto desde 2003; mas peço a Deus que tudo seja um exagero meu, um grande equivoco, e que contra todas as evidencias nada disso venha a acontecer.
Por enquanto, todavia, tudo em mim grita tais MINHAS ANGUSTIAS LULARAFATIANAS E DILMAHMADINEJADIANAS...
Leia mais...
Eu disse o que disse; e peço a Deus que esteja engano; se estiver ficarei feliz; e se estiver certo ficarei muito angustiado pelo Brasil e até pelo mundo; pois se o Lula tratar a maluquice mundial como ele trata as maluquices, por exemplo, do MST aqui, nós estaremos danados...
É o que penso!

Nele, em Quem peço para não estar certo,

Caio
3 de abril de 2010
Lago Norte
Brasília
DF


2 comentários:

  1. Este e outros assuntos pertinentes, podem ser lidos no site www.caiofabio.net, de onde extraí o presente artigo. Inicialmente, postei conforme se achava no site, mas a formatação não se encaixou no meu blog. Por isso, usei o artifício do "Ctrl+C e Ctrl+v", colei no Microsoft Word e transportei para cá. Com isso, os links do artigo não podem ser "clicados". Mas fica aí o endereço do site, vão lá e confiram, ok?

    ResponderExcluir
  2. Sou eu de novo, para notificar que tudo está normal no artigo agora. Quando chegarem nos links, basta clicar no "leia mais" e serão redirecionados para o artigo pertinente. Desculpem pela "burrada" (talvez um dos ingredientes do meu café da manhã de hoje contivesse alfafa, eh...eh...ehhh!)

    ResponderExcluir

A BÍBLIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS - Bibliologia Introdutória

A BÍBLIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS Bibliologia Apresentação A Casa Publicadora das Assembléias de Deus tem a grata satisfação de apre...